» Mercedes Benz O305 e O405


Sendo a Mercedes uma marca de prestígio, quer em veículos particulares quer em pesados, e não existindo nada em Português disponível na internet sobre os pesados de passageiros, decidi juntar informação de alguns websites em língua estrangeira a algum conhecimento que já tinha adquirido, complementando com algumas fotos, para fazer um breve resumo daquilo a que se chama as duas primeiras “gerações” de autocarros standard da Mercedes.

 
 
O305 / O307, a primeira geração.

Desenhado pela Mercedes para corresponder as exigências da Associação Alemã dos Operadores de Transportes Públicos (VOV, Verband Offentlicher Verkehrsbetriebe), o popular Daimler Benz O305 aparece em 1967 no salão internacional de Frankfurt ainda em versão de protótipo. É em 1968 que a primeira geração (chamemos-lhe assim) de autocarros standard da Mercedes começa a ser produzida em série, ainda com a frente original (a chamada frente VOV, os O305 partilham vários aspectos comuns com os MAN, Magirus Deutz e Bussing que também foram apresentados para corresponder as exigências da referida associação, mas no entanto depressa perderam aquela frente, que a MAN ainda manteve..), uma produção que vai atingir largos milhares de veículos até terminar em 1987.

  Os O305 encontraram o seu lugar por todo o mundo, desde do seu pais natal, a Alemanha, a muitos países europeus (inclusive em França, com muitas unidades a receberem carroçaria da Heuliez, constructor francês), na Austrália e Nova Zelândia com volante no sentido oposto e passando por Singapura, Hong Kong e África do Sul com autocarros de dois pisos com base no chassis do O305 (embora não com carroçaria Mercedes, são exemplares bastante curiosos, pelo que achamos que vale a pena referir), sendo ainda hoje possível encontrar exemplares a funcionar por todo o mundo, quer nos seus locais de origem, em serviço ou já como autocarros de museu, ou por força da exportação, devido já terem sido substituídos por novas unidades nas empresas de origem, foram sendo forçados a abandonar os seus serviços e partir para outras paragens, como por exemplo, Portugal.

  Com um volume de vendas tão elevado não é de estranhar também que tivessem existido alguns exemplares..digamos...pouco vulgares. Desde os O305 preparados para um sistema automático de transporte em Adelaide na Austrália, passando pelos troleicarros com base em O305, e não esquecendo um O305 bi-articulado, com 2 postos de condução e portas nos dois lados, na Alemanha, numa experiencia sem grande sucesso (pelo menos na aplicação prática, já que os ganhos em conhecimentos técnicos são sempre incalculáveis)

  Para completar a sua gama de autocarros a Mercedes decide em 1977 apresentar a versão articulada do O305, o O305G, autocarro revolucionário para altura, uma vez que tinha instalado o motor no 2º corpo sendo o 3º eixo o que traccionava o autocarro (ao invés dos articulados anteriores, neste era o 2º corpo que "empurrava" o principal), ao contrário dos seus concorrentes e dos seus antecessores, sistema que viria a ser adoptado pela maioria dos construtores no futuro. Construído nas mesmas linhas de produção do O305 com vários componentes em comum com o seu irmão mais pequeno, este veículo tinha capacidade para 170 passageiros, e media pouco mais de 17 metros.

  Uns anos antes em 1973 tinha sido apresentado o O307, desenhado também para corresponder aos critérios de uma associação de transportes, desta vez a STULB (Arbeitskreis Standard Uberland Linien Bus), o novo O307 era uma versão do anterior O305 mais “apurada” para o transporte interurbano... com mais lugares sentados devido a ser um pouco mais comprido, um piso mais elevado que dava agora a oportunidade de ter espaço para bagagem por baixo do piso, como um autocarro de turismo, e com uma frente melhorada...mais redonda, que por ser muito mais atractiva, seria adoptada para os seguintes O305.

  Em 1987 cessa a produção desta série de autocarros, com mais de 24 mil unidades vendidas entre eles. O tempo dos O405 e dos seus irmãos chegou....


 

O405 / Derivados, a segunda geração

Em 1984 entra em produção aquele que era o culminar de vários anos de experiências e de pesquisa, o O405 era o novo autocarro urbano da Mercedes que apresentava características revolucionárias tais como uma carroçaria com linhas rectilíneas e um grande display para as bandeiras de destino e carreira. O S80 (protótipo do O405) aparece devido à vontade do Ministério Alemão dos Transportes, que promove no principio dos anos 80 o desenvolvimento de novos veículos para o transporte urbano. A “segunda geração” de autocarros urbanos da Mercedes aparece ao público em 1983, um ano antes do inicio da produção em série de um dos autocarros mais bem sucedidos até aos dias de hoje, basta sair de casa e as probabilidades de encontrar um na rua são elevadíssimas, especialmente se estivermos num centro urbano ou numa periferia de uma grande cidade. Do Algarve ao Minho este autocarro é hoje muito usado nas nossas empresas de transportes, passados mais de 20 anos de ter começado a ser produzido na Alemanha.


Com tanto sucesso era natural que começassem a aparecer derivados do O405 para responder a nichos de mercado mais específicos! Um ano mais tarde aparece o O402, um O405 de dimensões reduzidas (com 8 metros de comprimento, versus os 11,5 do O405) para responder a procura de “miniautocarros” com o chassis produzido pela suíça NAW. O seu sucesso não foi grande e relativamente poucas unidades foram produzidas. Em Portugal existiram 3 (que se conheça..) e a Barraqueiro em Frielas, já teve dois O402 ao serviço, veículos que passaram para a Rodoviária do Alentejo, onde um ainda circula nas Urbanas de Elvas juntamente com uma DAF do mesmo tamanho. A produção do modelo acabou em 1991, estando apenas 6 anos no mercado.

1985 foi também o ano do “irmão” articulado do O405, o O405G é apresentado como o substituto do O305G herdando deste o motor no 2º corpo. Estes articulados em Portugal são relativamente raros, só a Rodoviária de Lisboa, os TCB e a AV Pacense (e esta última só muito recentemente) os têm nas suas frotas, os SMAT de Portalegre tinham importado dois, mas já estão ambos fora de serviço. Neste mesmo ano entra também ao serviço o primeiro O407. Assim como o O307 estava para o O305, este novo veículo estava configurado para viagens mais longas, ligeiramente mais comprido e com o piso mais elevado que o O405, com um pára-brisas de uma única peça, inovação adoptada posteriormente em alguns O405. O O407 viria a perder grande parte do seu volume de vendas 4 anos mais tarde...


Em 1989 são apresentadas ainda mais inovações, a família ganha 3 novos membros... São apresentadas novas versões urbanas, o O405N e o O405GN com entrada sem degraus e piso baixo entre a primeira e segunda porta, e um novo autocarro interurbano, o O408, um modelo que visa fazer a “ponte” entre o O405 ("roubando" clientes ao O407..) e um autocarro de turismo. Sobre os O405N / O405GN são os autocarros que introduzem o conceito de piso baixo na Mercedes, introduzindo também outra novidade, o motor mais deslocado para a lateral, para dar espaço a uma porta extra do tamanho normal (no O405 não tal era possível, nestes veículos com 3 portas (como os da Resende e TST) a ultima é sempre mais estreita). Para diferenciar um O405 de um O405N basta olhar para a frente, no O405N o pára-choques está mais descaído, e para a lateral, onde o friso em baixo das janelas no O405N atravessa a cava das rodas, enquanto que no O405 está sempre acima delas.

Fruto da constante evolução, em 1993/1994 é apresentado a nova verão de piso baixo, o O405N2 / O405GN2. Sendo agora mais facilmente reconhecíveis devido as janelas estarem mais descidas entre as portas do veiculo fruto dos bancos passarem a estar assentes no chão, coisa que não acontecia nos O405N. Estes últimos veículos começam agora a aparecer nas frotas portuguesas, (além dos O405N2 da STCP e Carris com carroçaria nacional, claro está)  a RL e a TST (entre outras) começam agora a receber O405N2 importados de diversos países, autocarros que chegam a território nacional em excelente estado de conservação. A Rodoviária do Alentejo renovou recentemente a frota das urbanas de Évora (Serviço SITEE) com base nestes excelentes autocarros.


Como "decifrar" um modelo da MB?

Se um O305 é sempre um O305, autocarro urbano, e se um O307 é sempre sinonimo de autocarro interurbano, com a chegada dos O405 e as suas variações os modelos da MB ganharam novas letras no código do autocarro. O que significam? E fácil! (algumas das indicações em 3 apenas são usadas na 3ª geração)

O###XX
[1][2][3]

1)
O, a inicial da palavra autocarro em alemão, Omnibus
2) Código, chamemos-lhe assim, da carroçaria: ex 407, 303, 530
3) Indicação do tipo de autocarro, pode ser uma conbinação de uma ou mais letras, sendo que as principais estão explicadas aqui em baixo:

G: Autocarro articulado, do alemão
Gelenkbus
N: Piso baixo, do alemão Niederflur
N2: Segunda versão dos O405 de piso baixo
Ü: Inter-Urbano, do alemão Überlandbus
LE: Entrada Rebaixada, do ingles Low Entry
NK: Usada na versão curta do O405, não se conhecem mais aplicações.
M: Para veiculos de 13 metros, de 2 eixos
L: Para veiculos de 15 metros, de 3 eixos
 
Por exemplo:
O405NU, um O405 de piso baixo inter-urbano
O305G, um O305 articulado
O530ÜM, um "Citaro" inter-urbano com 13 metros



Legenda
Fotografia 1: Mercedes O305 da Mondinense, grupo Joalto, já com a frente adoptada do O307
Fotografia 2: Autocarro de dois pisos com chassis  O305, em Hong Kong
Fotografia 3: O305 com frente "VOV", a frente original deste modelo
Fotografia 4: Mercedes O307 (notar a porta mais estreita e a bandeira mais fina) dos TST no Barreiro
Fotografia 5: O405 da Joalto Mondego em Coimbra
Fotografia 6: Um dos 2 O402 que foram importados para Portugal, nos tempos da Barraqueiro
Fotografia 7: O407 (notar as mesmas particularidades do O307, porta e bandeira) da Rodoviária do Tejo, em Leiria
Fotografia 8: Mercedes O405GN2,  a segunda verão dos articulados de piso baixo,  já com as janelas mais baixas
Fotografia 9: Autocarro inter-urbano O408 recém importado, na Rodoviária da Beira Interior


Fontes
Mercedes Benz
Gakei.com
olafs-fotoseite.de
busexplorer.com
Ricardo Figueiredo
Maio2006
   Login

User
Password
Relembrar Login
 
» Registe-se aqui !

   Pesquisa

Pesquisa avançada
   Sabia que...?

O primeiro autocarro de dois pisos em Portugal foi o 202 da CCFL?

   Foto aleatória


© 2004-2014 Transportes XXI — Transportes & Mobilidade, todos os direitos reservados.
Os conteúdos presentes neste portal são da exclusiva responsablidade dos seus autores.
Acerca do Transportes-XXIMapa do portalContacto
desenvolvimento
desenvolvido por AlojamentoVivo