» Transporte Rodoviário de Matérias Perigosas

Como meio de transporte multifacetado que é, o meio rodoviário transporta mercadorias diversas, umas mais perigosas que outras, sendo, portanto, exigidas normas especiais para o efeito.


Antes de mais, o que são Matérias Perigosas?

Matérias Perigosas são matérias que devido à sua inflamabilidade, ecotoxicidade, corrosibilidade ou radioactividade, por meio de derrame, emissão, incêndio ou explosão podem provocar situações com efeitos negativos para o Homem e para o Ambiente.

Estas matérias são assim divididas em 9 Classes ou Categorias:

Classe 1


Matérias e objectos explosivos
Classe 2


Gases
Classe 3


Líquidos inflamáveis
Classe 4.1


Matérias Sólidas inflamáveis, matérias auto-reactivas e matérias sólidas
explosivas dessensibilizadas
Classe 4.2


Matérias sujeitas a inflamação espontânea
Classe 4.3


Matérias que, em contacto com água, libertam gases inflamáveis
Classe 5.1


Matérias comburentes
Classe 5.2


Peróxidos orgânicos
Classe 6.1


Matérias tóxicas
Classe 6.2


Matérias infecciosas
Classe 7


Matérias radioactivas
Classe 8


Matérias corrosivas
Classe 9


Matérias e objectos perigosos diversos

Cada classe tem atribuído um sinal de identificação que deverá ser posto na embalagem e por vezes no veículo que transporta o produto. Assim, transcrevemos aqui os sinais regulamentares na Comunidade Europeia através do regulamento ADR 2005 (Regulamento Europeu para o Transporte de Matérias Perigosas):


Ao Clicar numa das imagens em baixo pode visualizá-la em maiores dimensões




Classe 1

Classe 2

Classe 3

Classe 4
Classe 5
Classe 6
Classe 7

Classe 8
Classe 9




Transporte de Matérias Perigosas Embaladas

Ao contrário do que muita gente pensa, não são só os camiões cisterna que transportam Mercadorias Perigosas: também são transportadas em camiões de carga geral (de lona), em contentores e em camiões frigoríficos, caso de mercadorias cuja inflamabilidade é elevada que precisam de ser transportados sob temperaturas controladas.


Camião de carga geral estacionado, é visivel a placa de sinalização cor-de-laranja avisando o transporte de matérias perigosas no veículo.


Quando transportadas em camiões frigoríficos ou de carga geral, as matérias perigosas estão normalmente embaladas em bidões de plástico (quando líquidas) e de metal (quando sólidas). Isto facilita o carregamento e descarregamento, pois podem ser colocados em paletes, exigindo, no entanto, um acondicionamento especial, para que os bidões não tombem, sendo, portanto, amarrados com cintas em grupos de 2 ou 4 bidões e tendo entre si placas de esferovite para não roçarem uns nos outros, provocando fugas.

Mas não só no interior são precisas medidas especiais, também no exterior no que toca a sinalização. Os veículos de carga geral, frigoríficos, entre outros que não foram especialmente concebidos para o transporte de matérias perigosas são obrigados a possuir à frente e à retaguarda, num plano vertical, placas de sinalização cor-de-laranja, semelhante à da figura em baixo. Além das placas de sinalização, o veículo deve circular sempre, quer de dia quer de noite, com as luzes médias acesas. Facultativamente estes veículos podem circular com placas indicadoras do perigo e da classe da mercadoria à retaguarda, sinais esses em cima descritos.

No transporte de matérias radioactivas o acondicionamento é mais cuidadoso. Estes materiais potencialmente perigosos, como por exemplo o urânio, existente em minas portuguesas, são embalados em pequenos rigorosamente contentores selados de acordo com as normas do ADR 2005, a fim de eliminar o risco de fuga de radiações.

Placa de Sinalização





Transporte de Matérias Perigosas em Cisternas

O Transporte de Matérias Perigosas em cisternas apenas difere no tipo de veículo utilizado e em algumas características da sinalização. Neste tipo de transporte são utilizados camiões cisterna (tipo tanque), especialmente concebidos para o efeito e cujas unidades de tracção (tractores) estão também elas adaptadas, cumprindo todas as normas de segurança para o transporte dessas matérias. Normalmente estes camiões possuem jantes de alumínio para, no caso do rebentamento de um pneu, não haver faíscas provocadas pelo contacto da jante com o asfalto. Os tractores estão equipados com dispositivos de corte geral de corrente, protecção térmica do motor, de modo a evitar a libertação excessiva de calor do motor para a cisterna, e sistemas eléctricos cuidadosamente isolados sendo que o risco de curto-circuito é muito menor neste tipo de veículos.

Placa de Sinalização


Quanto à sinalização, possuem uma sinalização mais específica e completa sendo que a placa cor-de-laranja possui números: em cima o número de perigo e em baixo o número ONU da mercadoria [clique aqui para para ver os números de perigo existentes e aqui para aceder a todos os números ONU], número universal atribuído à matéria transportada, conforme as imagens em cima e em baixo. Convém referir que neste tipo de transporte, identifica-se sempre a matéria mais perigosa, que no exemplo de um veículo que transporte simultâneamente gasóleo e gasolina, esta última é a referenciada, como na imagem em baixo.


Veículo cisterna de transporte de refinados de petróleo. Prestando atenção à placa, podemos notar que o número 33 significa "matéria líquida muito inflamável (ponto de inflamação inferior a 23 °C)", enquanto que o número 1203 significa "Transporte de Gasolina".

É também necessária a sinalização do perigo e classe da mercadoria e, no caso do veículo transportar matérias diversas em vários compartimentos, devem ser afixadas placas de sinalização do perigo e classe da matéria nas paredes laterais no local correspondente ao compartimento, fazendo-se desta forma uma sinalização completa que no caso de acidente permite às autoridades saber rapidamente o que o veículo transporta e em que compartimentos as diversas matérias se encontram. Nestes veículos é também obrigatória a circulação com as luzes médias acesas. No entanto os veículos cisternas deverão circular devidamente sinalizados, estejam carregados ou vazios, excepto se após descarga a cisterna seja lavada e limpa de qualquer resíduo perigoso.



Transporte de Matérias Perigosas em outros veículos

Existem também contentores cisternas, que não são mais que tanques cilindricos envolvidos por uma estrutura metálica em forma de paralelepípedo que permite a estes “tanques” serem carregados, descarregados, empilhados e transportados como contentores. Na circulação por estrada as medidas de segurança a aplicar são as mesmas dos veículos cisternas normais, já que o contentor já se encontra devidamente sinalizado sendo apenas necessário proceder à devida sinalização do tractor.


Traseira de um camião de transporte de botijas de gás, é visivel a placa de sinalização e a circulação com as luzes acesas.

Também o transporte de botijas de gás é normalmente especializado, existindo para o efeito semi-reboques com estruturas especiais para a fixação das grades com as botijas, como visível na imagem em cima. Por serem transportados vários tipos de matérias, a sinalização é básica, possuindo o veículo ou conjunto de veículos (exemplo tractor + semi-reboque) apenas as placas cor-de-laranja, e por vezes a sinalização de produtos gasosos inflamáveis, placas de perigo classe 2.

São também, por vezes, transportadas matérias perigosas a granel em camiões basculantes, é o caso de materiais sólidos inorgânicos  e potencialmente perigosos para o meio ambiente. Para o efeito a porta traseira da caixa é vedada e o topo tapado com uma lona para evitar a potencial queda de materiais. Este tipo de transporte é, no entanto, raro devido às matérias envolvidas e o facto de ser transportada a granel, o que envolve alguns riscos.



Requisitos para a condução de veículos de transporte de Matérias Perigosas

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, não basta a carta de pesados para conduzir veículos que transportam mercadorias perigosas: é também necessária a chamada carta ADR, uma licença emitida pela DGV (em Portugal) renovável a cada 5 anos após reciclagem e novo exame e válida em toda a Comunidade Europeia.

Nos cursos de formação ADR (RPE em Português) os formandos recebem formação quanto à devida sinalização, números de perigo, números ONU das mercadorias, formação na condução de cisternas, uma vez que em diversas situações se tornam veículos mais instáveis e imprevisíveis que os restantes, aprendem também como reagir em caso de acidente dependendo da mercadoria transportada.



Requisitos para o Transporte de Matérias Perigosas


Para que o transporte seja efectuado em segurança e cumprindo a legislação em vigor são necessários alguns requisitos especiais relativamente à tripulação do veículo, à documentação, ao equipamento que o veículo deverá possuir e quanto à operação do mesmo.


Documentação

Além das normais Guias de Transporte ou CMR’s (Guias para transporte internacional), que devem conter toda a informação acerca da mercadoria transportada, contendo números de perigo e ONU, são também necessários outros documentos, as Fichas de Segurança, que devem possuir detalhada informação sobre a mercadoria, incluindo os números acima referidos e classe além dos perigos da mercadoria e informação de o que fazer em caso de acidente, derrame, etc. Em caso de Transporte Internacional deve haver cópias das fichas em todas as Línguas Oficiais dos países por onde o camião passará. É necessário também uma cópia do texto das derrogações/autorizações concedidas para o transporte bem como a Licença Comunitária de Transporte, uma licença cedida pela Comunidade Europeia que aprova os veículos para o Transporte Internacional. Além disto é necessário um documento de identificação com fotografia de cada membro da tripulação e os certificados de formação do condutor (Carta de Condução e Carta ADR). Se prescrito é também necessário o certificado de aprovação do veículo de transporte para o transporte deste tipo de mercadorias.


Equipamento

Além da sinalização já acima referida, são necessários meios de extinção de incêndio portáteis adaptados às classes de inflamabilidade A, B e C com capacidade de 2Kg para combate a incêndio no motor ou cabine. Além destes são também necessários para veículos com massa admissível superior a 7,5 tons um ou vários extintores de incêndio adaptados às classes de inflamabilidade A, B e C com capacidade total mínima de 12Kg. Todos os extintores devem estar selados e dentro da validade. Além disto, o veículo deve possuir calços apropriados ao peso do veículo e ao diâmetro das rodas, sinais aviso portáteis (cones cor-de-laranja reflectores por exemplo) e uma lanterna portátil.


Restrições à circulação dos Veículos

Devido ao perigo que os veículos que transportam mercadorias perigosas apresentam, existem restrições à sua circulação em alguns períodos de tempo e em alguns locais. Por exemplo, estes veículos não podem circular dentro de localidades, excepto em caso de carga ou descarga e/ou não haver alternativa à circulação. Esta norma foi alargada a toda a comunidade europeia após um grave acidente ocorrido em Espanha com um camião cisterna, há cerca de 10 anos.

É, também, interdita a sua circulação em determinados períodos de tempo e em estradas definidas pela Portaria n.º 331-B/98, que proíbe qualquer veículo pesado que transporte Matérias Perigosas de circular entre as 18 e as 21 horas de sextas-feiras, de domingos, de feriados nacionais e de vésperas de feriados nacionais.



Conselhos Práticos

Caso seja condutor e circule perto de um veículo que, pela sinalização, aparente transportar Matérias Perigosas, redobre as atenções e cuidados, pois um acidente pode ter consequências muito graves para o meio ambiente, para os veículos e acima de tudo para todos os que estejam por perto.

No caso de ver um veículo que transporte mercadorias perigosas com uma fuga, de um gás ou um líquido, avise se possível o motorista ou as autoridades, com isto poderá evitar um acidente e proteger o meio ambiente.

Se um dia, infelizmente, presenciar um acidente com um veículo que transporte Mercadoria Perigosa e se a sua sinalização não descrever exactamente a matéria transportada (caso dos veículos de carga geral), não se aproxime, uma vez que pode ser uma matéria tóxica e pode haver derrame. Contacte de imediato os Bombeiros locais ou a Protecção Civil e forneça todas as informações disponíveis como o local, os números dos painéis cor-de-laranja (caso existam) e o nome da Empresa de Transporte. Mantenha-se longe do local e ajude outras pessoas a fazê-lo e jamais esqueça o facto de haver Matérias Perigosas envolvidas.



Visite também a Página do Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil


Fontes:
-Regulamento Nacional do Transporte de Mercadorias Perigosas por
Estrada RPE/ADR 2005 (Direcção Geral de Viação)
-Associação Nacional de Bombeiros e Protecção Civil


por Jorge Pereira
Última Actualização: Julho de 2006

   Login

User
Password
Relembrar Login
 
» Registe-se aqui !

   Pesquisa

Pesquisa avançada
   Sabia que...?

A bitola utilizada pela Carris no inicio era de 1435mm, e apenas foi alterada para 900mm para os carros americanos de outras companhias não a utilizarem?

   Foto aleatória


© 2004-2014 Transportes XXI — Transportes & Mobilidade, todos os direitos reservados.
Os conteúdos presentes neste portal são da exclusiva responsablidade dos seus autores.
Acerca do Transportes-XXIMapa do portalContacto
desenvolvimento
desenvolvido por AlojamentoVivo