No dia 13 de Agosto de 2009, o então mais recente navio da Celebrity Cruises, o CELEBRITY EQUINOX, veio a Lisboa pela primeira vez.

O navio foi construído nos estaleiros da Meyer Werft de Papenburgo, na Alemanha, sendo o segundo navio de um total de cinco que irão integrar a Classe Solstice. Estes navios são, à data da sua construção, os maiores navios de passageiros construídos em solo alemão.

A 19 de Junho de 2009, o navio deu saída do estaleiro e percorreu os 32 quilómetros que separam Papenburgo de Emshaven, na margem esquerda do rio Ems, em marcha à ré num dia, para ser então dado como terminado no dia seguinte e se dar início aos testes de mar do navio.

O primeiro Comandante, Apostolos Bouzakis, frisou que o traiçoeiro rio constitui um bom teste à manobrabilidade do navio a baixas velocidades. Apesar de auxiliado por dois rebocadores, o navio também tinha propulsão própria. Além disso, o rio é estreito e repleto de obstáculos. A viagem teve que ser feita com as condições perfeitas para que nada corresse mal, nomeadamente maré alta e ventos de muito fraca intensidade. Foi ainda necessário encerrar alguns diques de modo a que a folga entre o navio e a margem ou o fundo permitisse a sua passagem. Em certas zonas, a folga entre o casco e as margens seria de apenas 6 metros, o que é consideravelmente pouco para um navio de 122 mil toneladas de arqueação bruta.

Seguiram-se os testes de mar e a 16 de Julho o navio foi oficialmente entregue ao armador em Emshaven, tendo de seguida navegado para Southampton, onde, a 29 de Julho de 2009, foi oficialmente baptizado em festa, numa cerimónia iniciada com gaitas de foles e fanfarra e, posteriormente, ao som de uma interpretação ao piano do ''Here Comes The Sun'' dos The Beatles.  O navio será o único navio a ser baptizado em solo de Sua Majestade no decorrer do corrente ano. A madrinha do navio terá sido Nina Barough, fundadora do ''Walk the Walk'', uma organização que tem por objectivo angariar fundos para o combate ao cancro da mama, escolhida pela companhia devido à devoção com que se dedicou a esta nobre causa.

Nina Barough cortou a fita côr-de-rosa (côr simbólica alusiva à causa que move a madrinha do navio) que provocou o despenhamento da tradicional garrafa de champanhe, não contra o habitual casco do navio mas sim contra uma das suas duas chaminés. A garrafa, também ela, seria simbólica, uma vez que terá sido fabricada pelo Museu do Vidros de Croning, com quem a Celebrity tem um acordo desde 2008 para criar o primeiro espectáculo de sopragem de vidro a bordo do CELEBRITY SOLSTICE.

Finalmente a 31 de Julho teve início o seu primeiro cruzeiro, com uma duração de 8 noites pelos Fiordes noruegueses. Posteriormente, a 8 de Agosto, o navio partiu novamente de Southampton rumo a Civitavecchia, onde chegou a 18 de Agosto, tendo então passado por Lisboa a 13.

Os navios da classe Solstice não primam, exteriormente, pela inovação relativamente a outros navios de passageiros, à excepção de serem os primeiros navios desde há muito a possuírem duas chaminés funcionais (navios houve que possuíam mais que uma chaminé mas pelo menos uma era fictícia, simplesmente com o propósito de embelezar o navio, como por exemplo o KUNGSHOLM de 1965, actual MONA LISA, cuja chaminé de vante era apenas estética). Este pormenor suscitou tanto apreço como críticas por parte dos aficionados por esta indústria: há quem ache as duas chaminés inspiradas nas chaminés dos antigos navios Chandris AUSTRALIS, de 1965 (construído em 1940) e GALILEO, de 1984 (construído em 1963) bonitas, uma "lufada de ar fresco" relativamente às chaminés monótonas da maioria dos navios modernos; há quem as ache pequenas demais para um navio deste tamanho, havendo inclusivamente propostas gráficas de aficionados com versões de chaminés duplas ou mesmo únicas que suscitaram o apreço por parte de alguns fãs. Como curiosidade, o atrás referido GALILEO viria a ser o primeiro navio da Celebrity Cruises, ao ser transferido para esta companhia em 1990 e rebaptizado MERIDIAN.

A Chandris é um grupo grego, cuja tradição marítima remonta a 1966. O símbolo X característico dos navios tanto da Chandris como da Celebrity representa a letra grega "Chi", letra inicial de Chandris. A Celebrity Cruises foi fundada em 1988 para operar no mercado de cruzeiros nas Bermudas, substituindo a Home Lines, adquirida então pela Holland America Line. Esta companhia era, na altura, uma das companhias líderes na indústria, tendo conseguido dois contratos com o Governo da região que lhe garantiam prioridade nos portos relativamente a outras companhias. Apesar destes contratos, a HAL decidiu retirar os antigos navios da Home Lines deste serviço, deixando espaço livre para outros dois. É neste momento que entra em cena a Celebrity, constituindo-se como uma companhia de excelência, tal era a exigência do Governo das Bermudas, o que impossibilitava de lá operar outra companhia do grupo, vocacionada para um mercado menos exigente, a Chandris Fantasy Cruises.
 
Quem procurar diversão e actividades a bordo de um navio, encontra-las-á no CELEBRITY EQUINOX. Este navio dispõe de vários entretenimentos que figuram também noutros navios, como diversos restaurantes e piscinas, no entanto partilha com o primeiro navio da classe a que pertence o primeiro campo de relva verdadeira e o primeiro espectáculo de sopragem de vidro a bordo.

O campo relvado, que cobre 2000 m2 de área no convés 15, o The Lawn Club, pode ser usado, segundo a propaganda da companhia, não só para piqueniques em alto mar como também para jogos familiares, como críquete. Também neste nível fica o Hot Glass Show, que, como o nome indica, é um espectáculo onde profissionais moldam vidro quente nas mais variadas formas e côres, num espectáculo deveras cativante e dinâmico, onde cada peça criada é sempre diferente das predecessoras.
Relativamente à restauração, o navio dispõe de diversos restaurantes, a saber:
  • Silhouette Dinning Room;
  • Blu;
  • Tuscan Grille;
  • Silk Harvest Restaurant;
  • Murano;
  • Bistro On Five;
  • Café Al Bacio & Gelateria;
  • Galleria Tastings;
  • Oceanview Café.
Todos os restaurantes a bordo foram idealizados por Adam Tihany, um conceituado designer de hotéis e restaurantes. O Silhouette Dinning Room é a sala de jantar de eleição do navio. A decoração, embora simples, é de grande beleza e requinte. O Blu é o restaurante mediterrânico. A sua decoração em tons de azul e branco, com motivos florais em todo o redor, combina com a ideia por detrás do AquaSpa. Aliás, os passageiros alojados nos camarotes AquaClass tem direito a jantar gratuitamente neste restaurante. O Tuscan Grille também é um restaurante mediterrânico, onde a especialidade são as saladas e carne dos países periféricos ao mar em questão. Já o Silk Harvest é um restaurante com especialidades típicas dos países do oriente, do Japão à Tailândia, onde cada mesa está decorada com bonsais verdadeiros. O Murano é também um restaurante de especialidade, com uma cozinha de elegância tradicional. Além disso, tem uma soberba colecção de vinhos. No Bistro on Five encontram-se saladas, sandwishes e crepes num ambiente bastante casual. Já o Cafe Al Bacio & Gelateria é um típico café mediterrânico... com vista marítima privilegiada. No Galleria Tastings é possível fazer-se uma pequena pausa e experimentarem-se diversos sabores novos. O Oceanview Café é o bufet de bordo. Apesar disso, não deixa de ser bastante requintado e bem decorado.

Além destes, existem diversos bares onde o passageiro pode simplesmente relaxar na companhia de uma refrescante bebida, quer no interior do navio, quer numa das muitas áreas abertas que o navio proporciona. Existe também um teatro que se estende a uma altura de 4 convés repleto de "gadjets" que permitem um praticamente sem fim de configurações de palco e tipos de espectáculo como concertos, recitais, stand-up comedy, peças teatrais, etc...

Ao contrário de outros navios onde existem várias piscinas, este navio possui uma única área de piscina, onde estão então colocadas duas piscinas (uma de adultos e outra familiar, onde a diferença reside nas profundidades de cada uma) e alguns jacuzzi. Possui um casino a bordo, como a quase totalidade dos navios de passageiros modernos, uma galeria de arte, diversas lojas, salões de jogos para miúdos e graúdos, parque infantil, ginásio, vários lounges e discoteca. Existem também outros locais de entretenimento, que tornam este navio ímpar e que desafiam o passageiro a não dormir durante a sua estadia. Como qualquer navio de cruzeiro, as excursões a terra são também um ponto de grande importância, sendo que a companhia disponibiliza diversos itinerários nos portos de escala.

Possui também um AquaSpa, sendo também esta uma característica de relevo deste navio. O AquaSpa é um local onde a Celebrity promete a restauração da harmonia interna do corpo e o despertar dos sentidos, à base de tratamentos inspirados por culturas exóticas combinados com práticas convencionais. Tratamentos com lima e gengibre, banhos com perfume de flores de jasmim, um jardim persa, Solario (exclusivo para adultos), Talassoterapia, música ambiente... apenas algumas das possibilidades disponibilizadas para proporcionar o bem-estar e o relaxamento de quem visita o AquaSpa. 130 cabines do navio são AquaClass, tendo acesso priveligiado ao AquaSpa e ao restaurante Blu.

Além de todas estas funcionalidades, a Celebrity merece também destaque por ultimamente ter vindo a escolher um caminho verde, equipando os seus navios com tecnologias limpas e amigas do ambiente, numa campanha a que deu o nome de Save the Waves, "Salvem as Ondas." Por exemplo, a cobertura envidraçada do AquaSpa está coberta com centenas de pequenos painéis solares, que não só diminuem e incidência solar como também produzem electricidade. Outros locais do navio, como a ponte por exemplo, também estão cobertos com painéis solares.  No total, são mais de 200 painéis que produzem electricidade suficiente para acender mais de 7 mil leds. Os vidros que cobrem o navio são também especiais para diminuir as trocas térmicas entre o interior e o exterior, com vista a minimizar o uso da climatização, filtrando ao mesmo tempo 99% da radiação solar UV e o casco é pintado com uma tinta à base de silicone que diminui o atrito e evita as incrustações de algas e animais marinhos, tinta essa cada vez mais usada.

Em termos de decoração interior, embora sóbria, é bastante sofisticada. Apenas o casino tem linhas comuns à generalidade dos navios de cruzeiros. Eventualmente, e mesmo meio a tanta inovação que caracteriza cada novo navio, talvez uma das "decorações" que mais chame à atenção seja a árvore real (e ainda viva) de 5,5 m que se encontra suspensa no átrio principal do navio. O vaso que a sustém está cravejado de cristais Swarovski coloridos.

Este navio tem, contudo, uma característica que a empresa tem vindo também a aplicar nos anos recentes: a praticamente completa proibição de fumar a bordo, sendo que apenas o é permitido numa área reduzida nas imediações da piscina assim como no casino. Em todas as demais áreas esta prática está simplesmente proibida, aplicando a companhia sanções monetárias para os que as violarem.

A primeira época de cruzeiros deste navio será passada no Mediterrâneo, onde o navio baseado em Civitavecchia escalará os portos de Haifa e Ashdod ,em Israel ,e Alexandria, no Egipto, escalas novas no roteiro dos navios da companhia. Posteriormente, o navio será deslocado para os EUA, sendo que a 5 de Novembro partirá de Civitavecchia rumo a Fort Lauderdale, Florida, onde o navio ficará então baseado, fazendo cruzeiros de 10 e 11 noites pelas Caraíbas.



Características Técnicas

  

O CELEBRITY EQUINOX é um navio impressionante.

Uma curiosidade é o facto de o navio ter saído de doca seca sem chaminés, pois a doca onde fora construído é coberta e dadas as dimensões do navio, com as chaminés já colocadas ficaria impossibilitado de passar pelos portões da mesma.

Seguidamente são listas algumas das principais características do navio projectado pela Wilson Butler Architects:

Número IMO

9372456
Número MMSI
249667000
Bandeira
Malta
Porto de Registo
Valletta
Sinal de Chamada
9HXD9
Construtor
Meyer Werft GmbH, Papenburgo, Alemanha
Encomenda
11 Novembro 2005
Início da Construção
20 Agosto 2008
Entrega
16 Junho 2009
Construção nº
676
Arqueação Bruta
121878 t
Arqueação Líquida
82363 t
Porte Bruto
9500 t
Comprimento fora a fora
317,20 m
Comprimento entre perpendiculares
293,58 m
Boca máxima
36,90 m
Calado
8,30 m
Pontal
11,30 m
Bordo Livre
2,71 m
Casco
Duplo (tanto o costado como o fundo) em aço
Capacidade
2850 passageiros e 1250 tripulantes
Camarotes
1425 (85% dos camarotes têm varanda e apenas 10% dos camarotes são interiores)
Máquina Principal
4 motores Diesel Wärtsilä 16V46, 15600 kW cada
Potência total
62400 kW
Velocidade
21,5 nós (Velocidade máxima 24 nós)
Propulsão
Diesel-eléctrica
Propulsores
2 azipods direccionáveis de 20,5 MW cada um fabricados pela ABB
Propulsores transversais
3 propulsores de proa CT 300 da Wärtsilä
Geradores de Emergência
2 motores Diesel Mitsubishi S16R
Caldeiras Recuperativas
4 caldeiras TPK Nova KIP/PC-3/7 e duas TPK Nova KLN/VIC 12/7
Sociedade Classificadora
Det Norske Veritas
Seguradora
Gard P&I Club
 

Texto de Pedro Baptista, fotografias de Pedro Baptista e Mário Santos.
Última actualização: Agosto de 2009

   Login

User
Password
Relembrar Login
 
» Registe-se aqui !

   Pesquisa

Pesquisa avançada
   Sabia que...?

Em 20 anos, os comboios Intercidades já percorreram uma distância superior a 160 milhões de km, o equivalente a 3 viagens a Marte?

   Foto aleatória


© 2004-2014 Transportes XXI — Transportes & Mobilidade, todos os direitos reservados.
Os conteúdos presentes neste portal são da exclusiva responsablidade dos seus autores.
Acerca do Transportes-XXIMapa do portalContacto
desenvolvimento
desenvolvido por AlojamentoVivo